A MORTE É UMA PIADA!

morte-saudade-perda-luto

Vocês já pararam pra pensar como a morte é engraçada? Digo isso, pois a morte é a única certeza que temos na vida, mas nunca estamos preparados para quando ela chega.

 

A gente já nasce sabendo que irá morrer, que isso irá acontecer com todo mundo e que irá acontecer com a gente mesmo. Mas quando perdemos alguém para a morte, nossa, nos tira dos eixos, desestabiliza tudo.

 

Há uns três anos eu perdi meu irmão em um acidente de carro. Era final do ano, ele e a esposa estavam vindo de Blumenau, cidade onde eles moravam, para Maringá, pois iríamos passar o final do ano todos juntos.

 

A nossa família estava empolgada, compramos um barril de chopp, carnes para o churrasco e espumantes para o ano novo. Na época eu morava em São Paulo e cheguei um dia antes do meu irmão… nosso combinado era de toda a família tomar o café da manhã juntos, pois eu cheguei de noite em uma sexta-feira e eles iriam chegar na parte da manhã no sábado.

 

O acidente aconteceu faltando duas horas para eles, chegarem na casa dos meus pais. Um cara perdeu o controle da caminhonete e bateu de frente com o carro que meu irmão estava dirigindo. Meu irmão faleceu na hora e minha cunhada foi levada ao hospital com alguns ferimentos.

 

Era 6 horas da manhã quando o telefone do meu pai tocou avisando do acidente e ali naquele momento, para mim, tudo ficou em preto e branco e sem som.

 

.

.

 

Eu já perdi muitas pessoas queridas em minha vida, mas perder meu irmão dessa forma, de uma hora pra outra, foi sem dúvidas a mais absurda e inacreditável de todas. A partir daquela ligação eu e minha família começamos a lidar de frente com a morte.

 

Cada um lida de um jeito, cada um enfrenta o luto de uma forma e eu vou falar pra vocês, não é uma tarefa fácil, pode passar anos, a dor da perda, a saudade sempre será imensamente dolorida. 

 

Desde o dia que perdi meu irmão eu sinto como se algo estivesse faltando, eu não sei explicar o que é ou como é este sentimento, mas é como se faltasse uma peça do meu quebra-cabeça. 

 

As pessoas me perguntam: “Como você está Nai?” e eu sempre respondo que “estou bem”, mas na verdade essa também não é uma resposta fácil. Quando a gente perde alguém, a gente sabe que precisa seguir, mas como falar que tudo está bem, se lhe falta um pedaço, se lhe falta uma peça? Para mim não faz sentido, sabe! Então, na verdade, eu estou indo, apesar de tudo!

 

Mas no meio desse furacão todo de sentimentos, dúvidas e incertezas, que é viver com a perda, eu aprendi algumas coisas e por isso resolvi escrever esse texto. Ao mesmo tempo que a morte nos destrói, ela também pode nos ensinar, e hoje eu quero compartilhar algumas coisas que aprendi e relembrei nesse meu processo de luto.

 

A morte me mostrou em detalhes, que nós não somos absolutamente nada nesse mundo, estamos aqui, para aqueles que acreditam, literalmente, só de passagem. Por isso, aproveite cada momento, desfrute das coisas que lhe fazem bem, abrace as pessoas que você ama, faça mais das coisas que te deixem feliz. Eu sei que esse aprendizado, pode parecer bobo, mas na correria do dia a dia, a gente esquece que estamos aqui só de passagem e somos levados pela correria da vida, não temos tempo pra nada, mas quando a morte aparece, passamos a entender que cada segundo é precioso. 

 

Sim, devemos trabalhar, às vezes a rotina vai nos engolir, mas lembre-se que seu tempo aqui é valioso demais, então aproveite as coisas e as pessoas que lhe fazem sorrir.

 

E aqui meio que vai mais um aprendizado…Não se desgaste com as coisas ou com as pessoas, se te faz mal, se afasta, se não acrescenta em nada nessa sua passagem não se obrigue a manter por perto. Nossa vida é tão curta para perdermos tempo brigando e sofrendo por coisas ou pessoas que não valem o estresse.

 

Não tenha receio de se afastar de parentes ou amigos antigos, algumas coisas foram boas enquanto durou, mas se no hoje já não faz mais sentido e não te faz bem, não se obrigue a manter na sua vida, isso só irá te consumir. 

 

Eu sei que pode soar estranho isso de se afastar das pessoas, mas por muito tempo a gente foi ensinado a pensar no outro, a fazer as coisas pelo outro, quem se colocava como prioridade, sempre foi visto como metida, esnobe, que se acha. Mas a grande questão é que nós morremos sozinhos, então porque não se colocar como prioridade da própria vida? 

 

Por isso digo, cuide da sua saúde física e mental, se permita dizer NÃO para as coisas e seja mais leve com você mesmo. Então, se cobre menos e tenha mais carinho com você. 

 

Aprenda a ser sozinho, a fazer as coisas sozinho. Não deposite suas esperanças, amores, felicidade em outras pessoas. Não estou falando para viver eternamente sozinho, não é isso, mas é muito importante que você goste da sua própria companhia. Estar sozinho não quer dizer que você não gosta de ninguém ou que ninguém goste de você, mas fazer as coisas sozinho irá te trazer a liberdade e paz de que apenas a sua presença basta para você seguir em frente. 

 

Viver o luto é muito importante, sentir saudade, gritar, chorar, se questionar, fazem parte e devemos passar por cada uma delas, mas também é preciso continuar. O tempo não para pra gente se reconstruir ou processar tudo que está acontecendo, então por mais difícil que seja, a gente deve viver o luto, viver cada etapa dele, mas também devemos continuar com a nossa vida. E olha é difícil, mas só seguindo em frente que vamos conseguir lidar melhor com as coisas e com os sentimentos.

 

A morte é pesada e nunca estamos prontos para viver ela, mas essa é a única certeza que temos, então se prepare, pois uma hora ou outra ela aparece pra todos nós. Viva um dia de cada vez, faça o seu melhor, sinta as emoções, aprenda a gostar da sua própria companhia, chore, chore muito, mas também continue em frente.

 

Nesses três anos de luto, muita coisa mudou por aqui, perder meu irmão, foi a forma mais ridícula que a vida encontrou pra me mostrar coisas que são óbvias, mas que muitas vezes esquecemos e nos deixamos levar pela correria da vida. 

 

Se você aí do outro lado da tela, está passando por esse momento, lidando com a morte, saiba que não será tarefa fácil, depois que a perda de alguém querido acontece, a gente vive como se tivesse faltando um pedacinho nosso, mas com todos os desafios e dificuldades a gente vai reaprendendo a viver, um dia de cada vez, um passo de cada vez. Obrigada por ler até aqui, um beijo Naiady Souza.

 

Ps.Uma forma de mostrar a saudade que sinto de cada pecinha do meu quebra-cabeça que eu perdi. 

morte-saudade-perda-luto2
Frase de Fabricio Capinejar.

Está gostando? Compartilhe...

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on pinterest

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Últimos Posts